Ainda não há comentários

Governança voltada às pequenas e médias empresas e oportunidades de negócios

black_king_surrounded_white_pawn_chess_pieces_chess_board_cg9p0938645c_th

Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, próximos grandes eventos que serão sediados pelo Brasil, terão 10% do seu orçamento ou algo em torno de R$ 700 milhões destinados a pequenos e médios empreendedores que serão escolhidos como fornecedores de produtos e serviços.

Apesar dos Jogos acontecerem em 2016, cerca de 75% das contratações devem ser concretizadas neste e no próximo ano. A lista de itens que serão comprados vai desde móveis, computadores, cartões magnéticos e bolas até serviços de logística, segurança, decoração e tecnologia da informação e comunicação, dentre outros.

As pequenas e médias empresas que desenvolverem ou aperfeiçoarem as suas estruturas de governança certamente terão um diferencial de concorrência e maior perspectiva de oportunidades de negócios.

Com o advento da Lei nº 12.846/13, Lei da Empresa Limpa ou Lei Anticorrupção Empresarial, vigente desde 29/01/14, faz-se necessária adoção e implantação das melhores práticas de conformidade ou compliance no ambiente interno, de acordo com o porte e segmento de negócios, visando capacitar e preparar as pequenas e médias empresas para os desafios que o mercado oferece.

Neste sentido, para ajudar as empresas a se prepararem para esta nova demanda, é fundamental contar com uma assessoria de compliance e gestão de riscos, considerando os diversos tipos de relacionamento e interfaces, seja com o Poder Público, seja com parceiros de negócios, prestadores de serviços e mão-de-obra terceirizada, de acordo com o segmento de atuação.

Melhorar a gestão, adotar critérios de sustentabilidade e de conduta, ter políticas e procedimentos transparentes sobre potenciais conflitos de interesse e prevenção a atos ilícitos, aperfeiçoar canais de comunicação e atendimento, oferecer treinamento e capacitação adequada aos funcionários e colaboradores, estão entre os critérios que devem ser observados pelo pequeno e médio empresário.

Já que falamos de Jogos Olímpicos, funciona como competição de uma modalidade a escolher: aquele atleta que estiver melhor preparado, se qualificar e atender as exigências, terá mais chances de “vencer o jogo”. No caso concreto, de integrar cadeias produtivas e fornecer produtos e serviços a grandes empresas.

As posições no pódio são limitadas! Portanto, preparar-se sob o ponto de vista de governança e melhores práticas de compliance é o caminho certo para o sucesso e novas oportunidades de negócios.

Publicado por Emerson Siécola, em Setembro/2014

Publicar um comentário