Comentários estão desligados para este post

O que é esse tal ‘Compliance’ na minha vida?

O que é esse tal ‘Compliance’ na minha vida?

Por Roberta Codignoto, diretora executiva do Instituto Compliance Brasil

 

Já se perguntou o que o tal Compliance tem que ver com sua vida? Esta palavrinha é dita de lá pra cá, está em tudo quanto é matéria de jornal, e tem muita gente não faz ideia do que seja.

Esta palavra da língua inglesa significa “estar em conformidade” e ela começou a ser usada muitos anos atrás para uma determinada área ou profissional de empresas que cuidavam para que as políticas internas e as leis fossem cumpridas.

O fato de haver profissionais que se dedicam à ajudar as empresas a estarem em conformidade, as auxilia a antever riscos e trabalhar para reduzi-los, gerenciá-los ou transferi-los.

Este nome complicado ganhou evidência com os escândalos de corrupção, uma vez que a área de Compliance das empresas deve trabalhar para identificar riscos de corrupção, treinar e capacitar os funcionários para evitá-los e fortalecer as políticas internas. Desta forma, as empresas estariam mais protegidas e preparadas para os desafios da corrupção, bem como, do eventual descumprimento de outras leis.

Mas você deve estar se perguntando: o que isto que tem que ver como minha vida, não é mesmo?

Todos nós estamos submetidos ao “compliance” desde antes de nascermos. Quando nossa mãe descobriu que estava grávida, ela passou a se submeter a vários procedimentos para garantir que tivesse uma gravidez saudável e que nós pudéssemos nascer bem. Todos os exames e consultas serviam para identificar e mapear os riscos, e tomar medidas necessárias para a saúde da mãe ou do bebê. Ou seja, nossa mãe (e nós dentro de sua barriga) estávamos “em Compliance” (ou em conformidade) com as normas de medicina.

Quando nascemos, outra série de “conformidades”, desde o hospital, documentos, exames obrigatórios de pezinho, sangue, etc. E, além disto, o nosso registro civil para garantir a nossa existência de direito. Cumprindo todos os processos e normas, passamos a existir para a sociedade.

E você pensa que não teve Compliance na infância? Desde pesagem semanal, depois mensal, até as vacinas, e tudo mais necessário para identificar os riscos e aplicar medidas necessárias para nosso desenvolvimento. E vem, na sequência, a obrigatoriedade do processo escolar desde o jardim da infância até a universidade.

“Estar em conformidade com algo” está nas nossas vidas o tempo todo, todos os dias, desde que nascemos e até mesmo depois de morrer (lembremos que é preciso fazer uma certidão de óbito e depois fazer inventário se deixarmos bens). Portanto, a tal palavrinha Compliance é mais simples do que parece. É um importante mecanismo para ajudar pessoas e empresas a identificarem “doenças” (fraudes, corrupção, descumprimento de lei), definirem o tratamento correto (processos, treinamentos, definição de políticas), e auxiliar para que se tenha uma vida mais segura e saudável (sustentabilidade nos negócios).

Os comentários estão fechados.